Razões para não comer Fast Food

Postado dia 08 de fevereiro de 2018 - Blog - Por: Viviane Almeida

 

Às vezes queremos uma alimentação rápida e nem notamos o quanto podem fazer mal a saúde. Estaremos alertando inúmeras razões do porque de não comer fast food.

Na maior parte das vezes, os alimentos de Fast-Food são desprovidos de nutrientes básicos para o bom funcionamento do corpo humano, e fartos em gorduras e açúcares. A atual sociedade, na qual as pessoas têm pouco tempo para realizar atividades pessoais, inclusive para comer, produz, a cada dia, mais consumidores deste tipo de alimento, e aumenta as taxas de obesidade e outros problemas alimentares, como até mesmo a desnutrição.

Muitas crianças crescem em meio às redes de Fast-Food, que veem nos pequenos um potencial grupo de consumidores. Comidas muito saborosas, com muitos elementos como molhos, frituras, queijos e nas sobremesas sorvetes, caldas, chocolates, enfim, uma enorme lista de ingredientes sedutores que fascinam até mesmo adultos, o que faz das crianças alvos fáceis de serem persuadidos.

A comida rápida e de baixo custo dos Fast-Foods está cada vez mais incorporada aos hábitos alimentares do indivíduo pós-moderno, no entanto os perigos envoltos neste tipo de prática estão gradativamente maiores. Os índices de doenças coronarianas, obesidade e diabetes na atualidade aumentam a cada ano, chegando a níveis preocupantes. O sedentarismo, atrelado à mesma falta de tempo para realizar as refeições e outras atividades desvinculadas do ambiente profissional, é mais um agravante da situação. A saúde do ser humano contemporâneo está sendo deixada de lado em virtude do mercado de trabalho cada vez mais exigente e detentor do tempo do indivíduo.

Pelo que puderam notar a comida rápida nos traz sérios danos, e levando sua saúde e vida a sério colocaremos abaixo dez alimentos que geralmente você acabava ingerindo na sua antiga alimentação, creio que não comerão mais, depois de tudo que lerão. Então fiquem atentos para dizer adeus a esses alimentos:

Antes de ir para o prato, esse tipo de comida é submetido a técnicas artificiais. Os nitritos e os nitratos de sódio, por exemplo, compostos químicos que possuem a função de evitar a formação de bactérias (e, portanto, fazer com que os alimentos durem mais), têm potente ação carcinogênica.

O glutamato monossódico é um intensificador de sabor     feito à base de cana de açúcar que podem estar escrito no rótulo das embalagens com os nomes: extrato de levedura, proteína vegetal hidrolisada ou E621. O consumo frequente de macarrão instantâneo favorece: Aumento da pressão arterial, problemas cardíacos, colesterol ruim, comprometimento renal, aumento de peso e síndrome metabólica.

Todas as latas são revestidas internamente com um tipo de ‘película’ que protege a lata em si do contato com o alimento, por isso nunca compre latas amassadas, porque quando essa película se rompe as toxinas entram em contato direto com o alimento. Estas substâncias apesar de estar em pouca quantidade, não irão causar nenhum dano à saúde num curto prazo, mas podem contribuir para o acúmulo de toxinas no corpo, o que dificulta até mesmo o emagrecimento. Por isso a recomendação é não consumir alimentos enlatados regularmente e nunca consumir um alimento cuja lata esteja amassada ou danificada.

Os enlatados são prejudiciais para a saúde de todos, mas são especialmente contraindicados para pessoas que sofrem com pressão alta ou que precisam diminuir o consumo de sal e sódio na alimentação. Além disso, ele facilita a retenção de líquidos, deixando a pessoa mais inchada, dificultando o emagrecimento.

No entanto, quem precisa comer fora de casa pode acabar consumindo enlatados sem saber, assim, a melhor estratégia é não cozinhar com enlatados e sempre que possível levar sua própria refeição para a escola ou para o trabalho porque esta será sempre a opção mais saudável, porque assim você pode saber exatamente o que está comendo.

A matéria-prima da qual este alimento é feito é basicamente o pernil do porco. Na produção, primeiramente o pernil é lavado, após passar por um processo de cura com sal, é desossado, enformado junto com outros ingredientes e por fim assado. Além da carne, as indústrias também costumam acrescentar proteína de soja, água, espessantes, aromatizantes, corantes e conservantes. Dessa maneira, o pernil do porco que deveria ser o ingrediente principal, acaba sendo responsável por apenas uma pequena quantidade do produto final.

A maioria dos embutidos possuem uma quantidade expressiva de calorias, gorduras saturadas e sódio, grandes inimigos à saúde. A gordura saturada estimula o aumento dos níveis de colesterol e o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. O sódio pode gerar a pressão alta; os conservantes, risco de câncer. Além disso, há uma alta taxa de corantes, que fazem mal ao estômago. Sendo assim, se consumido em excesso, presunto engorda, assim como outros embutidos (salame e salsicha), além de fazer mal à saúde.

Devido ao alto teor de carboidrato e sódio, podem causar sensação de inchaço, tem alto teor de gorduras trans (essa gordura aumenta o prazo de validade do produto), a qualidade dessa gordura, pode aumentar o colesterol ruim e diminuir o bom. O carboidrato representado pela farinha branca, que está na formulação de todas as bolachas, com ou sem recheio são pobres em fibras, o ingrediente causa efeitos como aumento de peso e prisão de ventre.

Ingerir muitos salgadinhos – incluindo os fritos, como coxinha, risolis e bolinho de queijo – também traz outros problemas, como pressão alta, diabetes, além de prejudicar o crescimento na infância. Por isso, quanto menos comer, melhor. Nem mesmo os assados deixam de ser vilões porque também possuem gordura e bastante sal.

E nunca é demais lembrar que o excesso de quilos no corpo é fator de risco para problemas sérios de saúde como doenças no coração, desenvolvimento de câncer, hipertensão arterial, resistência à insulina, aumento do colesterol, diminuição do colesterol do bem – HDL – e aumento do colesterol do mal – LDL, elevação de triglicerídeos, intolerância à glicose e diabetes. Há ainda o risco de intoxicação. Por mais que ele não seja alto, o fato de existir merece atenção. Uma pesquisa realizada pela Universidade Estadual da Paraíba identificou um nível de 7% de intoxicação causados pela maionese.
A questão que merece receber atenção em relação ao consumo de maionese é o seu teor de sódio. Uma colher de sopa – ou 12 g – de maionese light chega a apresentar 125 mg de sódio. Apesar desse nutriente ser importante para a contração muscular, a transmissão de impulsos nervosos, a regulação do volume e da pressão arterial, o equilíbrio dos fluidos corporais e a manutenção de níveis regulares de pH sanguíneo, quando ingerido em excesso, ele traz graves problemas à saúde.

Quando a margarina é comercializada como uma alternativa saudável para a manteiga, o número – um reivindica que a margarina tem menos gordura saturada – com o pensamento anterior de que todas as gorduras saturadas são ruins para todos. Mas, como qualquer nutricionista pode dizer-lhe, estes termos se tornaram muito mais complexos do que pode parecer.

Manteiga, sendo um produto lácteo alto-teor de gordura, tem as gorduras saturadas. E gorduras saturadas têm sido vistas como “gorduras ruins” por anos, com muitos acreditando que elas têm um efeito universalmente negativo sobre o coração.

Os óleos vegetais utilizados para produzir as margarinas regulares hoje, têm uma elevada concentração de gorduras poli-insaturadas, que são instáveis quando expostos a luz ou armazenado durante um longo período de tempo, gerando os radicais livres implicado nos riscos para a saúde. Apenas o processo de extração de muitos óleos de baixo custo a partir de suas fontes de sementes podem criar radicais livres, que trancam outras moléculas antes de criar mais radicais livres. A longo prazo, os radicais livres são responsáveis pelos efeitos de lesão celular, envelhecimento, doença cardíaca e cancro.

E nessa massa além de não ter Carne, pois a definição de carne é” tecido muscular de animais” ainda é possível encontrar  amido de milho, sal, Glicose, caldo de galinha, gordura vegetal hidrogenada com TBHQ, ácido cítrico, água, SODA PARA COZIMENTO, antiespumante e por aí vai uma enorme quantidade de ingredientes (mais de 40) que tem nomes assustadores, alguns inclusive, sabidamente carcinogênicos.

Um dos principais inimigos da batatinha frita é a acrilamida, uma substância que se forma quando o alimento é colocado em altas temperaturas. Ela é cancerígena. No ser humano nada foi provado, porém, é regra que substâncias que causam câncer em animais serem potencialmente perigosas para humanos. Dessa forma, o primeiro alerta já está aceso.

Acredite, temperaturas muito baixas também não ajudam em nada. De acordo com a Anvisa, abaixo de 10 graus há uma formação maior de açúcares redutores na batata. E essa substância que, quando quente, associada a asparagina (aminoácido) produz a acrilamida.

Agora a escolha é sua, mais sugiro levar muito a sério sua saúde, escolhendo uma alimentação saudável e balanceada.

Você encontra várias dicas e receitas sobre alimentação saudável aqui no Blog Doce Saúde Fit. Aproveite também para  conferir nossos conteúdos exclusivos:

 

Sugestões:

Mini Chocotone sem glúten

Mini Chocotone sem glúten

INGREDIENTES    2 XIC de farinha de arroz integral 2 Cs psyllium ou chia para agregar fibras 1 XIC...

Veja mais
Pão integral fit de alho-poró

Pão integral fit de alho-poró

INGREDIENTES 1/2 xic agua morna. 1 Cs açúcar demerara. 1 Cs de fermento de pão. Misture tudo em um...

Veja mais